2007-10-09 04:59:38
tags: 

O Zen e a arte cavalheiresca da programação orientada a objeto (Parte 18)

Para ver os artigos anteriores desta série, clique aqui.

Olá Pessoal, estamos de volta com a série que mostra alguns princípios de programação orientada a objetos precisamente a cada rand (1,32768) dias!

Muito bem, senhoras e senhores. Acho que chegou a hora da gente "objetivar" um pouco e listar aqui nossas classes e seus métodos: até eu, depois de algum tempo sem escrever, me perdi! Já falamos livremente sobre os modelos, controllers e views de nosso quase-framework; agora é importante colocar no papel. Digo, no banco de dados. Enfim, vocês entenderam.

Então vamos começar com a classe Model, base para todos os nossos modelos:

Classe Model

Atributos 

$primarykey

String. Nome da chave primária do banco de dados. O default é id, mas pode ser qualquer nome desde que seja inicializado ao criar o modelo.

$table

String. Nome da tabela à qual o modelo será mapeado. O default é o nome do modelo.

$data

Array. O array $data vai conter os dados do modelo, mapeando cada campo com seu valor.

$fields

Array. Lista dos campos da tabela relacionada ao modelo, associado ao tipo e tamanho de cada campo. O default é obtido diretamente do banco de dados.

$validationstatus

Array. O array $validationstatus contém a situação de validação de cada campo do modelo. O método Validate() popula este array com a situação de cada um dos campos, (true/false) de acordo com as regras de validação de cada um.

 

Métodos

LoadById($id)

Carrega os dados do registro cuja chave primária é $id no array $data do modelo.

Save()

Salva os dados do modelo no banco. Antes executa a função ValidateFields() para garantir que os dados são válidos. Se a chave primária no modelo estiver vazia, ele cria um novo registro. Se estiver preenchida, ele atualiza os dados do registro que contém este id.

DeleteById($id)

Remove da tabela o registro com o id $id. Bem simples. O único perigo aqui é se a gente não configurar corretamente a tabela para lidar com o efeito cascata, ou seja, se a gente deixar alguém apagar um registro que é referenciado por outros registros. Por exemplo, se eu apago um post que tem vários comentários relacionados, precisamos remover todos eles, certo? A boa notícia, pra quem ainda não sabe, é que o banco cuida disso sozinho pra nós.

ValidateFields()

Valida cada um dos campos de acordo com suas regras de validação. Como a classe Model é uma classe genérica, ou melhor dizendo, abstrata, vamos fazer aqui uma validação também genérica, de acordo com as características dos campos da tabela. Assim, vamos validar, por exemplo, se um determinado campo é texto, e se seu tamanho está dentro do tamanho estipulado na descrição da tabela. Para validações mais específicas, vamos reescrever a função ValidateFields() em cada um dos nossos modelos.

Reparem, caros leitores, que nosso objetivo aqui é clareza e simplicidade. Poderiamos ter chamado a função LoadById simplesmente de Load; Mas a idéia é deixar o uso da função realmente claro; Percebam que já na função Save isso já não é necessário pois vamos salvar o estado do modelo no banco, sem a necessidade de nenhum campo específico estar definido. Para salvar um novo registro vamos simplesmente salvar um modelo que tenha sua variável $id vazia.

Uma diferença bastante grande desta proposta em relação ao Cake é a divisão de trabalho: como o Cake usa o pattern ActiveRecord, tem muita coisa dentro da classe Model. Aqui nós estamos dividindo este trabalho com a classe ModelCollection, que irá fazer todo o trabalho de banco de dados quando estivermos lidando com grupos de registros, ou coleções.

That's all, Folks! Mandem seus comentários, dúvidas e xingamentos e até a próxima!